top of page

Primeira morte por H3N2 foi confirmada em morador de Palmeira




Secretaria de Estado da Saúde confirmou, no início da noite desta terça-feira (18), em boletim epidemiológico semanal, uma morte de morador de Palmeira em decorrência do vírus influenza H3N2.

O boletim do Estado informa que se trata de uma pessoa de 69 anos do sexo feminino e a data do óbito foi no dia 07/01/2022 porém divulgado apenas na data de hoje pela Secretaria Estadual de Saúde.

Além disso, o boletim informa que foram registrados mais 481 casos e 28 óbitos – incluído o de Palmeira – pela infecção do vírus H3N2 no Paraná. Agora, o Estado soma 1.313 casos confirmados de infecções e 40 mortes em 187 municípios.

Os óbitos confirmados ontem são de 15 mulheres e 13 homens com idades que variam de 19 a 100 anos. As mortes ocorreram entre os dias 30 de dezembro de 2021 e 18 de janeiro de 2022.

Os diagnósticos estão sendo monitorados e contabilizados desde dezembro do ano passado, quando a doença começou a circular no Estado de maneira atípica. Na última semana o Paraná decretou situação de epidemia de H3N2.

Medicamentos

Somente neste mês, a Secretaria já descentralizou mais de 556 mil cápsulas do medicamento Oseltamivir (Tamiflu) para tratamento da doença. A secretaria aguarda ainda um novo envio de medicamentos do Ministério da Saúde.

Sobre a circulação do vírus Influenza A (H3N2) no Paraná, a Secretaria da Saúde orienta como prevenção mais eficaz a vacinação anual contra a influenza, uma vez que a vacina é a intervenção mais importante para evitar casos graves e mortes pela doença, além de se intensificar as medidas que evitam a transmissão dos vírus respiratórios:

  • Frequente higienização das mãos, principalmente antes de consumir algum alimento. No caso de não haver disponibilidade de água e sabão, usar álcool gel a 70%;

  • Utilizar lenço descartável para higiene nasal;

  • Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;

  • Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;

  • Higienizar as mãos após tossir ou espirrar;

  • Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;

  • Manter os ambientes bem ventilados;

  • Evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas de Síndrome Gripal;

  • Evitar sair de casa em período de transmissão da doença;

  • Evitar aglomerações e ambientes fechados (procurar manter os ambientes ventilados);


  • Adotar hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e ingestão de líquidos;

  • Orientar o afastamento temporário (trabalho, escola etc.) até 24 horas após cessar os sintomas, e

  • Buscar atendimento médico em caso de sinais e sintomas compatíveis com a doença, tais com: aparecimento súbito de: calafrios, mal-estar, cefaleia, mialgia, dor de garganta, artralgia, prostração, rinorreia e tosse seca. Podem ainda estar presentes: diarreia, vômito, fadiga, rouquidão e hiperemia conjuntival.

  • Informações e texto Cruzeiro FM 98,3



Comentários


bottom of page