top of page

PRF divulga números de acidentes em 2023 no PR

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) divulgou nesta terça-feira (23), os números de acidentes registrados ao longo de 2023 nas rodovias federais do Paraná.

Destaca que os homens mais jovens são as maiores vítimas. De acordo com o balanço, 80% dos mortos eram homens e a faixa etária que mais morreu ficou entre 20 e 30 anos (20,7% dos óbitos) seguida de perto pela de 40 aos 50 anos (20%).

Sobre os óbitos, 451 foram homens (81%) e 108 mulheres (19%). Sobre idade, é possível observar que o perfil do óbitos detalha que a menor idade se concentra em 80 a 90 anos (0,4%) e 0 a 10 anos (1,4%). Já a idade dos motoristas em acidentes que resultou em morte, a maior faixa etária se concentra de 40 aos 50 anos com 225 óbitos (23,3%).

Por outro lado, ao longo do ano passado foram registrados 559 óbitos e destaca que pedestres, motociclistas e ciclistas foram 40% dos mortos. As colisões frontais mataram 151 pessoas no estado, causado predominantemente por dois fatores, ultrapassagens proibidas ou malsucedidas e excesso de velocidade.

“Em 2023, nas rodovias federais, foram contabilizados 6.827 acidentes de trânsito, que provocaram a perda de 559 vidas. Os números são menores do que em 2022, quando 568 pessoas morreram em 7.113 acidentes. Das ocorrências de 2023, 1.929 foram considerados graves – quando ocorre lesão grave ou morte de pelo menos um dos envolvidos. Mais da metade das mortes (58%), ocorreram em trechos de rodovias não duplicadas, a chamada pista simples”, destaca a PRF.

A rodovia BR-277, que conta com aproximadamente 720 quilômetros de extensão no Paraná, detém a maior quantidade de acidentes – 1915 registros – e de mortos – 179 registros dentre as rodovias federais presentes no estado. Em relação aos caminhões, a PRF aponta que houve um aumento de 15% de óbitos em acidentes envolvendo caminhões, sendo que 252 mortos ocorreram em 2022 e 291 em 2023. Além disso, o segundo tipo de acidente que mais causou mortes em 2023 foi o atropelamento de pedestres. “90 pessoas perderam a vida. O período da noite, incluindo os momentos de baixa luminosidade em amanhecer e anoitecer, concentrou 75% das mortes neste tipo de sinistro. Mortes em razão da ausência de luz natural podem ser evitadas principalmente com comportamento preventivo por parte de motoristas e pedestres”, disse a PRF.

Responsável por 536 quilômetro de rodovias federais na região, a Delegacia PRF em Ponta Grossa que atende 12 municípios, contabilizou ao longo do ano passado, 708 acidentes, 70 mortes e 716 feridos. Como principais tipos de ocorrências, está a saída de pista (23,31%), a colisão traseira (18,79%) e a colisão com objeto (12,57%), respondendo por mais da metade dos acidentes.

Entre as principais causas destacam-se a ausência de reação (23,02%), reação tardia ou ineficiente (20,06%) e velocidade incompatível (9,18%). Quanto às fiscalizações, foram fiscalizados 32.428 veículos e 32.274 pessoas, além da realização de 21.276 testes de etilômetro, que resultaram em 255 notificações por condutores estarem dirigindo embriagados, 28.713 transitando em excesso de velocidade e 2.232 realizando ultrapassagens indevidas.

Kleber Gross com informações da PRF


留言


bottom of page